RADAR

Jaguar Land Rover

A Jaguar Land Rover é a maior fabricante de automóveis do Reino Unido e possui duas marcas icônicas da indústria automotiva britânica: a Jaguar, com mais de 80 anos de história, é a marca premium que mais cresce no Brasil e agora conta com uma nova geração completa de produtos, composta por veículos esportivos, sedãs e SUVs, e a Land Rover, que desde 1948 é referência mundial em veículos todo terreno. Controlada pelo grupo indiano Tata Motors, a companhia conta com cerca de 42 mil colaboradores em todo o mundo e comercializa seus produtos em 130 países. A produção de veículos é centralizada no Reino Unido, com plantas adicionais na China, na Índia, na Eslováquia e no Brasil, aqui está localizada em Itatiaia, RJ. A partir de 2020, todo novo veículo da Jaguar Land Rover será eletrificado, oferecendo aos consumidores ainda mais opções. Serão introduzidos veículos elétricos, híbridos e híbridos plug-in, complementando a gama de modelos atuais equipados com os motores Ingenium diesel e gasolina. Presente há mais de 25 anos no país, a Jaguar Land Rover conta com 39 concessionários no Brasil.

Aposentadoria pela internet

O segurado do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) que pediu aposentadoria por idade ou salário-maternidade a partir do dia 21 de maio e que preencheu as exigências básicas teve seu beneficio liberado imediatamente ou em até 30 minutos.

As solicitações podem ser feitas pelo 135 ou no site do INSS(meu.inss.gov.br). “Em 2017 foram 700 mil requerimentos de aposentadoria por idade, pelo menos 105 mil poderiam ter sidos concedidas automaticamente”, afirma a chefia de divisão de atendimento. Para que a concessão imediata seja possível, as contribuições registradas no Cnis (Cadastro Nacional de Informações Sociais) do segurado não podem ter pendências. Quando houver inconsistência cadastral, uma tarefa será criada para  análise de um funcionário. Se o problema for resolvido, o benefício será liberado em até 45 dias.

DIA MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE: qual o impacto da bicicleta?

Cada um dos mais de 8 mil brasileiros, que usam a bicicleta no lugar do carro como meio de transporte, deixa de emitir 4,4 kg de CO2 por ano, já para os que usaram o ônibus, evitaram jogar na atmosfera 41,9 kg da mesma substância no mesmo período. Esta estimativa faz parte do estudo Economia da Bicicleta no Brasil, uma parceria da Aliança Bike e o LABMOB (Laboratório de Mobilidade Sustentável, da UFRJ), que revela o papel deste meio em cinco dimensões, analisando vários aspectos socioeconômicos e comportamentais.

Para chegar ao número de ciclistas no Brasil, os pesquisadores tomaram como base o censo de 2017 do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e um levantamento feito pela ANTP (Associação Nacional de Transportes Públicos) que estima que 4% da população usam a bicicleta como meio de transporte.

O estudo A Economia da Bicicleta fez uma pesquisa com 968 ciclistas, no Rio de Janeiro, que utilizam a bicicleta como meio de transporte. Para fazer uma medição precisa em relação a tempo e distância percorridos, os pesquisadores catalogaram o tempo médio de deslocamento diário dos ciclistas em quatro tempos: 10 minutos ou menos, 10 a 30 minutos, 30 a 60 minutos e 60 ou mais minutos, levando em conta que o intervalo de 10 a 30 minutos é equivalente a 5km. Com isso, a conclusão foi de que a média de distância percorrida por esses ciclistas em um ano foi um total de 1.180.536km e com essa métrica é que a relação do uso da bicicleta com a melhora do clima e preservação do meio ambiente fica interessante.

Os dados e o relatório completo da pesquisa estão disponíveis em https://economiadabicicleta.org.br/