Comemoração

VW Fusca celebra 60 anos

Os Cegonheiros fizeram parte da história de sucesso do Fusca

   O VW Fusca completou sessenta anos, um dos veículos mais conhecidos pelos brasileiros, acelerou o país desbravando estradas difíceis ocupando, e ocupa até hoje, espaço em milhões de corações. Em 1953 era montado e comercializado no Brasil com peças importadas da Alemanha. Tamanho foi o seu sucesso por aqui que durou até 1986, retornou brevemente no governo de Itamar Franco entre 1993 e 1996. Além dele surgiram ainda outros projetos entre esses anos, como a Brasília, Variant, TL, Kombi, SP2, Karmann Ghia e outros.

   O primeiro Volkswagen Fusca feito no Brasil com peças nacionais saiu da linha de montagem do antigo galpão localizado no bairro do Ipiranga, em São Paulo, no dia 3 de janeiro de 1959. Segundo a Volkswagen, naquele ano foram vendidas 8.406 unidades do modelo, então chamado de Sedan. Antes da nacionalização, o Fusca era montado na mesma fábrica desde 1951 com peças importadas da Alemanha.

   Na época, o maior desafio da Volkswagen foi atingir os 54% de grau de nacionalização exigidos pela legislação por conta dos poucos fornecedores de peças. O Fusca era equipado com o motor boxer (cilindros opostos) refrigerado a ar de 1.2 litro a gasolina, que gerava modestos 36 cv de potência e atingia velocidade máxima de 110 km/h. O câmbio de quatro marchas não tinha sincronizador (a primeira marcha só podia ser engatada com o carro parado).

Fusca “Pé de boi”

   O primeiro exemplar nacional foi comprado pelo milionário Eduardo Andreas Matarazzo em uma concessionária do bairro paulistano de Santo Amaro por 471.200 cruzeiros, o equivalente a R$ 169.500 em valores atualizados. Posteriormente, a família Matarazzo adquiriu mais 29 Fuscas.

   O Fusca teve cerca de 3,3 milhões de unidades produzidas no Brasil entre 1959 e 1986 e liderou o mercado nacional durante 24 anos, perdendo para o Gol o posto de carro preferido dos brasileiros, em 1987.

De 1970 a 1980 a VW do Brasil já havia exportado 380 mil Fuscas, para 62 países, entre eles o Iraque

Fusca nas ruas

   Segundo o Detran de São Paulo, existem 827.202 unidades do Volkswagen Fusca registradas em todo o Estado. De acordo com o órgão, ele também é o carro mais colecionado – são 6.927 exemplares com placa preta. Essa placa é designada a veículos em perfeito estado de conservação e originalidade.

   Dos exemplares com placa preta, 3.856 unidades estão na cidade de São Paulo. Em seguida vem Campinas (193 unidades) e São Bernardo do Campo (167 unidades).

De 1970 a 1980 a VW do Brasil já havia exportado 380 mil Fuscas, para 62 países, entre eles o Iraque

Números no Brasil

   A produção ininterrupta do Volkswagen Fusca no Brasil foi de 1959 até 1986. Após esse período, em 1993, a pedido do então Presidente da República Itamar Franco, o carro voltou a ser fabricado.

   O final definitivo do Volkswagen Fusca no Brasil ocorreu em 28 de junho de 1996, quando saiu oficialmente de linha. Para celebrar, ganhou uma série limitada batizada de Ouro com 1.500 unidades.

   A produção, porém, continuou até 2003, pois ele ainda era feito em Puebla, no México.
Ao todo foram produzidos 3,3 milhões de unidades do Fusca no Brasil nos dois períodos. Até os anos de 1970 ele já havia atingido 1,5 milhão de exemplares – melhor época do modelo.

   No mundo todo foram 21,5 milhões de unidades, o que coloca o modelo como um dos mais vendidos de todos os tempos, ao lado de carros como Volkswagen Golf e Toyota Corolla.

As viagens duravam meses em estradas de terra e muitos atoleiros levando o Fusca aos quatro cantos do país